Histórias de uma Ruína

Segundo informações da Diocese de São Salvador, Um importante símbolo da história eclesiástica nacional é a ruína da Igreja de Nossa Senhora do Ó. Situada em Paripe, é uma das primeiras paróquias fundadas no Brasil, datada do século XVI.

Sabe-se que a primitiva capela de Nossa Senhora do Ó, em Paripe já existia em 1587, pois foi citada pelo senhor de engenho Gabriel Soares de Souza, em carta ao rei da Espanha. A Paróquia em si,  foi fundada em 1608, o primeiro vigário foi o padre Estevão Fernandes. A atual matriz é de construção recente.

Ruínas encontradas no Cemitério Nossa Senhora do Ó, em Paripe

Ruínas encontradas no Cemitério Nossa Senhora do Ó, em Paripe

Existem discussões em torno de onde seria a primeira capela. Alguns historiadores afirmam que esta se encontrava em São Tomé, próximo à atual Base Naval de Aratu; outros afirmam que a mesma ficava onde hoje é a rua da Independência e, atualmente, é o Centro Paroquial. Todavia, as ruínas que se encontram no Cemitério de Nossa Senhora do Ó provavelmente são os resquícios desta capela. Segundo Iuri Peixoto estas ruínas podem mesmo ser quinhentistas, a notar por alguns elementos renascentistas sobre o estilo medieval de se construir, elementos esses muito parecidos com os da ruína do Castelo de Garcia d’Ávila.

Anúncios

Os números de 2012

Publicado: 30/12/2012 em Uncategorized

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

600 pessoas chegaram ao topo do Monte Everest em 2012. Este blog tem cerca de 9.400 visualizações em 2012. Se cada pessoa que chegou ao topo do Monte Everest visitasse este blog, levaria 16 anos para ter este tanto de visitação.

Clique aqui para ver o relatório completo

Subúrbio Representado no CBO 2012

Acontecerá entre os dias 13 e 16 de novembro, no Rio de Janeiro o V Congresso Brasileiro de Oceanografia, com o intuito de aprimorar e oportunizar cada vez mais o conhecimento da área oceanográfica e estreitar as relações com a iniciativa privada voltada para as atividades marinhas. Para este evento, a Comissão Organizadora espera reunir cerca de 2500 congressistas.

Nele, vários oceanógrafos, biólogos e engenheiros ambientais discutirão fatores voltados à zona costeira brasileira e internacional.

A Faculdade ÁREA1, representada pelo seus docentes e estudantes, apresentará no V CBO, um trabalho intitulado:

AVALIAÇÃO HISTÓRICA DE IMPACTOS NEGATIVOS EM UM TRECHO DA ZONA COSTEIRA DO SUBÚRBIO DE SALVADOR, BAHIA – ENSEADA DOS TAINHEIROS

Vale a pena conferir.

Clique na imagem para ver o painel

 

Da Maré

Publicado: 31/10/2012 em Cotidiano, Cultura, Ponto de vista
Tags:, ,

Documentário sobre Alagados traz a poesia onde você não imaginava

Texto de Ícaro Vilaça
http://icarovilaca.wordpress.com/2012/10/31/da-mare/

O documentário DA MARÉ [BAY OF ALLL SAINTS] filmado ao longo de seis anos por Annie Eastman em Alagados, com extrema sensibilidade.

Alagados remete, no imaginário dos soteropolitanos, à imagem das palafitas, nome pelo qual conhecemos os barracos de madeira apoiados em estacas sobre a Enseada dos Tainheiros. As primeiras palafitas surgiram no final da década de 1940 e permanecem até hoje, em paralelo aos aterros e inúmeras intervenções realizadas pelo Estado no bairro.

Annie Eastman conhecia a comunidade desde 1999, quando trabalhou como voluntária na ONG Grupo de União e Consciência Negra (Grucon). A partir da notícia de que as palafitas seriam erradicadas, ela começa a fazer um registro precioso deste processo.

Ao mesmo tempo em que provoca um debate fundamental sobre a fragilidade e os equívocos das políticas públicas praticadas pelo Governo do Estado – sobretudo no que diz respeito à NÃO-participação dos moradores nos processos de desenvolvimento urbano – Eastman mostra com delicadeza o cotidiano da vida nas palafitas e a intimidade dos moradores, sem cair na tentação de vitimizá-los ou de romantizar a situação de extrema precariedade vivida por eles. DA MARÉ, portanto, possui uma potência política inestimável. Mais do que  uma obra audiovisual, é um instrumento de luta.

DA MARÉ acompanha a comunidade entre 2004 e 2012, apresentado o cotidiano de Geni, Maria e Jesus, três mães que cuidam sozinhas de suas famílias. Norato é o elo de ligação entre elas e ao mesmo tempo o narrador do filme. Ele trabalha como eletricista, consertando geladeiras e dando um ‘jeitinho’ nas precárias instalações elétricas dos barracos e se torna confidente da maioria destas mulheres.

O filme foi exibido hoje pela primeira vez em Salvador – integrando a programação do VIII Panorama Internacional Coisa de Cinema -, numa sessão emocionante com a presença de todos os moradores retratados no filme. Os técnicos da CONDER (Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia) também foram convidados pelos organizadores do Festival, mas não compareceram. Haverá uma nova sessão na quinta-feira (01/11) às 16h20 no Cine Glauber

Clique na Imagem para assistir o trailer do Filme

Uma Ponte de História

Erguida em 1860 e reconstruída em 1952, a Ponte São João, que faz a ligação da via férrea entre Lobato e Plataforma, vai passar pela primeira grande reforma em quase 60 anos. Em 1850, a implantação da estrada de ferro Calçada-Paripe deu início à expansão urbana rumo ao subúrbio ferroviário, sendo construída em Plataforma a Estação de Trem Almeida Brandão. A linha férrea, no seu período de auge, trouxe muitos benefícios à população do bairro – como o abastecimento da feira local com mercadorias que vinham do interior, a chegada da iluminação elétrica, a presença do transporte público e a instalação da fábrica de tecidos São Brás –, que proporcionaram o povoamento do bairro de Plataforma e a formação da Vila Operária.

Retirada de uma apresentação do Prof. Raul Barreto, intitulada ‘História Aplicada ao Turismo’ a fotografia abaixo mostra a ponte de São João em 1860.

Ponte São João

Projeto Revive a Importância de Plataforma

A artista e pesquisadora, doutora em Comunicação Audiovisual (UPF, Espanha – bolsa Capes), mestre em Artes Visuais – Fotografia (MFA, Academy of Art University, EUA  – bolsa Capes) e especialista em Crítica da Arte Eletrônica (Mecad, Espanha), Karla Brunet, apresentou, em seu blog http://karlabru.net/site/, uma visão interessante a aprtir do Projeto Exorcismo Urbano

Vale a pena dar uma olhada.

Boa leitura

(Clique na Imagem para ir ao blog)

 

Reportagem sobre Saveiro Baiano Destaca Paripe

A revista National Geographic Brasil de setembro de 2012 trás uma reportagem interessantíssima acerca dos Saveiros da Bahia.

Nesta, o repórter Maurício Barros de Castro avalia a importancia destas embarcações na economia e cultura do Recôncavo Baiano, que outrora era o principal meio de transporte da região unindo, através da baía de Todos os Santos, cidades como Maragogipinho, Jaguaripe, Salinas das Margaridas, Cachoeira, Maragogipe, Santo Amaro, São Franscisco do Conde, Madre de Deus e Salvador.

Esta rede comercial entrou em declínio com a chegada das rodovias e, consequentemente, toda costa de Salvador, banhada pela baía de Todos os Santos, perdeu um um pouco da sua importancia estratégica e econômico, inclusive o Subúrbio Ferroviário

Ricamente ilustrada com fotos de Roberto Linsker, a matéria trás a imagem da Praia de Paripe e a aglomeração de embarcações junto a pequena vila de pescadores, que reaviva o tempo em que as embarcações movimentavam a economia local.

Praia de Paripe apresentada na Revista National Geographic Brasil (by Roberto Linsker)